dispositivos_medicos

Os dispositivos médicos / hospitalares demandam o mais alto nível de qualidade e confiabilidade. Os materiais utilizados na manufatura destes produtos, principalmente plásticos, vidro, e metal precisam ser biologicamente inertes, resistentes à corrosão e temperatura, assim como ter a durabilidade e resistência para não apresentar falhas, pois isso poderia colocar vidas em risco.

LOCTITE 4902

Os adesivos substituem as técnicas de montagem normalmente utilizadas na fabricação de dispositivos médicos – mecânica, térmica e soldagem por solvente.

A compressão mecânica tem aplicação limitada na montagem de dispositivos médicos. Sua única vantagem é a facilidade de desmontagem, ao passo que as desvantagens incluem alto custo da mão de obra, incremento do número de itens do almoxarifado e pior estética. A moldagem de insertos produz componentes com alta resistência. Contudo, ele é muito sensível a pequenas variações que geram altos índices de rejeição.

A soldagem térmica gera calor nas superfícies a serem unidas através de ultrassom. Apesar da produção de soldas de boa durabilidade com a utilização desta técnica, o processo requer que os substratos sejam termoplásticos e miscíveis entre si. Outras limitações são a dificuldade em formar uma vedação hermética na união de duas peças e o alto investimento em equipamentos.

Já a soldagem por solvente como o próprio nome diz, utiliza solventes para fundir peças de termoplásticos. Uma aplicação típica é a adesão de tubos de PVC a conectores termoplásticos em conjuntos de tubos. Enquanto a solda por solvente oferece a vantagem de ser rápida, barata e simples, os solventes têm várias limitações. Plásticos termofixos, vidros e metais não podem ser aderidos por este método, pois ele está baseado na dissolução do substrato. As folgas maiores são difíceis de preencher, e polímeros de tipos diferentes não podem ser aderidos juntos. Além disto, a aplicação excessiva de solvente pode causar fissuramento ou trinca em alguns plásticos amorfos. Os solventes também podem ser prejudiciais ao meio ambiente e alguns são altamente inflamáveis. Requerem diversos equipamentos de segurança no ambiente de trabalho.

Na maioria das vezes, os materiais com as melhores propriedades físicas para aplicações médicas esterilizadas são os mais difíceis de serem unidos. Para estes substratos de difícil união, e para muitos outros, os adesivos são por muitas vezes, o único método viável de montagem. Eles permitem unir diferentes materiais, por exemplo, termoplástico, termofixo, vidro, e metal; Preenchem folgas muito bem e têm a habilidade de formar uma vedação entre dois substratos. Além disso, os adesivos são mais seguros para os aplicadores nos processos produtivos. Seu uso varia conforme os tipos de dispositivos, que podem ser divididos em 3 categorias:

Descartáveis

Os dispositivos descartáveis são projetados para serem utilizados uma única vez. Para satisfazer as exigências das normas da biocompatibilidade, todos seus elementos, incluindo os adesivos, precisam ser resistentes ao processo de esterilização utilizado pelo fabricante do dispositivo, e não tóxicos ao paciente.

As aplicações típicas incluem: conjuntos de fornecimento de líquidos e medicamentos, cateteres, equipamentos de infusão, seringas, hipodérmicos, injetores, e dispositivos cirúrgicos cardiovasculares e cardiopulmonares.

Reutilizáveis por esterilização

Estes tipos de dispositivos são esterilizados depois de cada utilização. Os instrumentos cirúrgicos, endoscópios, laporoscópios e artroscópios são exemplos destes produtos. Por isto, precisam ser projetados para resistir a múltiplas esterilizações em hospitais, centros médicos de tratamento ou consultórios.

A recente introdução de polímeros resistentes a exposições repetidas a altas temperaturas, está expandindo as possibilidades de aplicação nesta área.

Reutilizáveis sem esterilização

Há muitos produtos médicos em que a bio-compatibilidade não é um problema. Eles incluem equipamentos ortopédicos e de reabilitação como, por exemplo, cadeiras de rodas, aparelhos de correção, aparelhos de surdez e próteses, assim como equipamento de imagem, monitoração e medição. Os dispositivos reutilizáveis sem esterilização podem ser aderidos e vedados com adesivos de linha geral, sem necessidade de serem específicos para a indústria médico/hospitalar.

dispositivos reutilizáveis

LOCTITE 4902

Nenhum adesivo satisfaz todas as necessidades. Os projetistas e engenheiros precisam balancear várias propriedades adesivas para obter a resistência a adesão necessária e efetuar a vedação. Além das propriedades físicas do adesivo, da qualidade e da consistência, a toxicidade do produto e a durabilidade da esterilização são pontos importantes para o fabricante de dispositivos médicos.

No próximo post, vamos nos aprofundar na análise das diferentes famílias químicas, suas características e aplicações na indústria médico / hospitalar.