A versatilidade da resina epóxi, quando corretamente reagida com seus agentes de cura, garante excelente performance nas aplicações em pisos industriais, revestimentos anticorrosivos, embalagens metálicas, compósitos em fibras de vidro e carbono, etc. Porém, poucos sabem que a resina epóxi foi inicialmente desenvolvida para a utilização em próteses odontológicas.

As primeiras tentativas comerciais de preparo da resina através da epicloridrina aconteceram em 1927 nos Estados Unidos. O mérito da primeira síntese de uma resina baseada no bisfenol-a foi compartilhado entre o Dr. Pierre Castan da Suíça e o norte-americano Dr. S. O. Greenlee em 1936.

A palavra epóxi, de origem grega, significa: [ epi ] – fora de; e [ oxi ] – oxigênio. Esta denominação coincide exatamente com a forma do grupo químico epóxi ou oxirano.

Até onde os epóxis podem chegar parte 1
Aplicação da resina epóxi no restauro e reposicionamento do templo de Abu Simbel no Egito.

As resinas epóxi são resinas sintéticas que abrangem uma vasta gama de propriedades, desde líquidas de baixa viscosidade sem solvente até sólidas de alto ponto de fusão. Estas resinas são caracterizadas por possuírem em sua molécula um ou vários grupos epóxi. Reagida com agentes de cura, torna-se um polímero termorrígido com excelente resistência mecânica, química e de isolação elétrica.

Os agentes de cura ou endurecedores são produtos capazes de reagir com os grupos epóxi da resina formando grandes moléculas de diferentes composições. Dependendo do tipo de agente de cura utilizado, obteremos diferentes propriedades do produto final, tais como: flexibilidade, resistência a ácidos orgânicos, etc. Podemos chamar de agentes de cura de sistemas epóxi os produtos derivados das aminas: poliaminas, poliamidas e os ácidos e anidridos orgânicos. Atualmente, os principais desenvolvimentos estão ocorrendo nos tipos e propriedades dos agentes de cura.

Formação da resina epóxi

A resina epóxi básica é obtida da reação de duas matérias-primas: o bisfenol A e a Epicloridrina, utilizando como catalisador o hidróxido de sódio, conforme ilustra a figura abaixo.

Dependendo da quantidade de bisfenol A, a cadeia molecular aumenta linearmente mudando, assim, as propriedades da resina como viscosidade, flexibilidade, reatividade, etc.

Inicialmente, as resinas epóxi eram usadas como auxiliares de outros materiais e também como adesivos. A primeira aplicação importante da resina epóxi na construção civil aconteceu em 1954 quando a California State Highway Department utilizou-a para colar sinais de trânsito. Desde então o emprego das resinas epóxi na construção civil adquiriu maior importância. Graças ao seu grande poder de aderência, passaram a ocupar o posto de materiais mais usados para reconstrução e reparo em indústrias.

No próximo post, veremos algumas delas. Acesse Até onde os epóxis podem chegar parte 2